Contato

(69) 99354-3335

Como ajudar os pais a brincarem com seu filho tea?

Você já deve ter ouvido falar que a brincadeira é fundamental para o desenvolvimento de qualquer criança, não é mesmo? E, ao contrário do que parece, o brincar não é inato a ela. O brincar é um repertório comportamental que a criança adquire ao longo dos primeiros anos de vida e que acontece através da aprendizagem.

 Para algumas crianças parece ser algo natural, mas para outras nem tanto. Uma das características sintomáticas do TEA é o brincar repetitivo. É muito comum crianças autistas apresentarem dificuldades no faz de conta, na troca de turnos em jogos de regras e sociais e no brincar funcional. Isso se deve, principalmente, ao déficit nas funções executivas, que são responsáveis pelo planejamento, memória e flexibilidade cognitiva.

Da mesma forma que muitas crianças apresentam dificuldade no brincar, muitos adultos também apresentam dificuldades no ensinar. Pensando nisso, criamos algumas dicas fundamentais para você (pai, mãe, terapeuta) aplicar na hora da brincadeira. 

Dica 01: Fique atento aos itens de interesse da sua criança e comece por eles. Por exemplo, se ela gosta de bolha de sabão, blocos de encaixe ou massinha, aproveite para inseri-los na hora do brincar.

Dica 02: Atente-se ao que a criança já sabe fazer. Parta dali e, aos poucos, vá exigindo níveis mais complexos de respostas. Separamos algumas hierarquias de respostas para você se inspirar:

BOLHA DE SABÃO:

  1. Estimular a criança a olhar, se aproximar 
  2. Estimular a fazer pedidos, por exemplo: “mais bolha”, apontar, fazer sinais, etc.
  3. Estimular conceitos: muito, pouco, grande, pequeno
  4. Estimular o simbólico: imaginar que estão no fundo do mar

 

BLOCOS, ENCAIXE, EMPILHAR:

  1. Dar modelos de como montar blocos, empilhar copos e cubos
  2. Misturar os brinquedos e fazer uma torre, trabalhar flexibilidade cognitiva
  3. Trabalhar conceitos, cores, números
  4. Estimular o simbólico: brincar de castelo do rei, pista para corrida de carros

 

MASSINHA DE MODELAR:

  1. Mostrar cores e tamanhos, deixar criança se familiarizar, dar modelo de como amassar, fazer bolinha, movimentos simples
  2. Representar na massinha, por exemplo:  jogar bola, minhoca, usar forminhas, carimbos
  3. Aumentar dificuldade, criar formas como boneco, carinhas, representações
  4. Confeccionar massinha com receitas caseiras

 

Dica 03: Não se esqueça de considerar as brincadeiras sociais, como esconde-esconde, dança da cadeira, elefantinho colorido e jogos de regras com cartas e tabuleiros, ambas exigindo a troca de turno (minha vez, sua vez). Inicie com as regras simples, contendo poucos passos, e vá ampliando aos poucos os conceitos.  Vamos te mostrar como ensinar o esconde-esconde, e você poderá utilizar os princípios abaixo para as demais brincadeiras.

 

ESCONDE-ESCONDE:

  1. Cubra seu rosto de modo que a criança veja apenas seu corpo. Faça a criança contar até 10 com olhos fechados. quando descobri-lo fale para ela: “você me achou”
  2. Faça a criança contar até 10 com olhos fechados,  esconda 50% do corpo e peça para criança te procurar. Tente variar o local de se esconder, mas ainda permaneça no mesmo ambiente que a criança, até esconder 100% do corpo.
  3. Nessa etapa, a criança já entendeu a dinâmica, e agora você pode propor o esconde-esconde com troca de ambientes. Por exemplo, a criança conta no quarto, e você se esconde na sala.
  4. Agora que ela está craque, proponha a troca de turnos: peça para que ela se esconda e trate de procurá-la.

 

E aí, gostou das nossas inspirações?

Espero que essas dicas lhe tragam mais qualidade no brincar com sua criança.

 

Fonte: Grupo Conduzir

https://www.grupoconduzir.com.br/pais-filhos-tea/

Site criado na Loguei.com